Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Borrego Serra da Estrela DOP

Borrego Serra da Estrela DOP

Descrição: A carne de Borrego Serra da Estrela DOP, obtida a partir de borregos da raça Bordaleira, é particularmente macia e saborosa, apresentando uma gordura intersticial e subcu-tânea bem distribuída.
Comercialmente, o Borrego Serra da Estrela DOP apresenta-se em carcaças com cauda completamente esfolada, cabeça sem olhos, sem maxilar inferior e com o maxilar superior cortado pelo chanfro, membros sem os tarsos, sem pulmões e fígado, rins com boa cobertura de gordura, podendo as restantes vísceras acompanhar a carcaça, desde que embaladas e apresentadas separadamente.

Método de produção: Os borregos são alimentados apenas com leite materno, apresentan-do, ao abate, um peso vivo até 12 kg e uma idade até 30 dias. As carcaças têm um peso até 7 kg e possuem a gordura subcutânea bem distribuída.

Características particulares: A Bordaleira é uma raça mediolínea e de cor branca, distinguindo-se pelos seus cornos enrolados para a frente e pelo úbere bem desenvolvido nas fêmeas. Tratando-se de uma raça leiteira, tem vindo a ser selecionada, ao longo dos séculos, para a obtenção do leite usado na produção do Queijo da Serra DOP.

Área de produção: A área de produção do Borrego Serra da Estrela DOP coincide com a área geográfica do Queijo Serra da Estrela DOP, abarcando uma superfície total de 3.143,16 km2 e englobando os concelhos de Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo e Seia, bem como algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu.

História: Há inúmeros estudos e registos históricos que atestam serem milenares a criação de ovinos e produção de queijo nesta região. Daí este borrego ter resultado da conciliação, ao longo dos séculos, entre o interesse dos produtores de Queijo Serra da Estrela em ordenhar as ovelhas o mais cedo possível e as características fisiológicas desta raça, que permitem obter, no primeiro mês de vida do borrego, altas reposições diárias e uma boa aceitação pelos consumidores. Este borrego está por isso intimamente ligado por tradição à zona de produção do Queijo Serra da Estrela, bem como aos hábitos e à culinária da região, onde também é conhecido como “borrego de canastra”.

Marca de certificação
Rotulo Borrego rd
Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
ESTRELACOOP - Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela, C.R.L.

Organismo de controlo e certificação
BEIRA TRADIÇÃO - Certificação de Produtos da Beira, Lda

Publicações no Jornal Oficial da UE
Regulamento (CE) n.º 1107/96 da Comissão – L148 21.06.1996
Retificação ao Regulamento (CE) n.º 1107/96 da Comissão – L290 13.11.1996

Publicação em DR
Despacho n.º 13/1994 – 26.01.1994
Aviso n.º 4312/2005 – 21.04.2005
Ovina Serra da Estrela 2

Padrão da Raça Ovina Serra da Estrela: De acordo com o definido no Regulamento do Livro Genealógico, o ovino Serra da Estrela é um animal com as seguintes características:

Aspeto Geral estatura mediana, esqueleto bem desenvolvido, regularmente musculado, de cor branca ou preta, com aptidão predominantemente leiteira;
Pele, velo e lã pele fina, elástica e untuosa, branca e com reduzida pigmentação nas extremidades, ou preta. Velo branco ou preto, pouco extenso não abrangendo a cabeça, a barriga e os membros; pouco tochado de madeixa cilíndrica ou pontiaguda; pelos cábrios mais abundantes na parte dorsal (posterior) do animal. Lã de tipo cruzada fina, pouco ondulado, toque suave ou ligeiramente áspero;
Cabeça mediana de forma piramidal, deslanada, fronte estreita e plana, arcadas orbitárias salientes, olhos grandes, face comprida e estreita de forma triangular, chanfro convexo e liso, boca rasgada de lábios grossos; cornos em ambos os sexos, de comprimento variável, de forma espiralada, rugosos, fortes na base, finos e mais claros na ponta;
Pescoço comprido, delgado, de forma tronco cónica, sem barbela, garrote largo e pouco destacado, espáduas oblíquas compridas e estreitas, costado bem arqueado;
Tronco dorso e lombo compridos e largos, garupa comprida e de regular largura; ventre volumoso;
Úbere de forma globosa desenvolvido com sulco mediano evidente; tetos grandes e bem implantados;
Membros finos e compridos, bem aprumados, deslanados abaixo do joelho e curvilhão; unhas pequenas e rijas;
Peso vivo adulto: Machos – 80 a 100 kg; Fêmeas – 50 a 55 kg.

Fontes:
ANCOSE – Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela
Ruralbit – Fotografias de Raças Autóctones