Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Cabrito da Gralheira IGP

Cabrito da Gralheira IGP

Descrição: A carne de cabrito Cabrito da Gralheira IGP é obtida a partir da raça Serrana existente no norte da Beira Litoral.

Método de produção: Como em outras zonas de Portugal, onde a caprinicultura assume alguma importância, estes animais aproveitam os terrenos pobres e marginais, alimentando-se de prados espontâneos à base de urzes, carquejas, giestas e tojo. Este tipo de alimentação confere à carne um sabor bastante característico e apreciado. Os cabritos são abatidos até ao ano de idade, com peso de carcaça até 6 kg.

Características particulares: O Cabrito da Gralheira IGP desempenha um importante papel na gastronomia das serras da Beira Litoral devido à sua elevada qualidade. É também símbolo de muitas tradições antigas e costumes locais e o seu consumo está tradicionalmente ligado a muitas festas populares e religiosas, como o Natal e a Páscoa.

Área de produção: O Cabrito da Gralheira IGP é produzido nos concelhos de Arouca, Vale de Cambra, São Pedro do Sul, Oliveira de Frades, Vila Nova de Paiva e Castro Daire, nos distritos de Aveiro e Viseu.

História: O modo de vida, bastante duro, dos habitantes da Serra da Gralheira, Caramulo, Montemuro e Nave tem sido muitas vezes invocado por famosos escritores portugueses, que também fazem muitas referências ao Cabrito da Gralheira IGP e à sua importância na dieta dos povos serranos, sendo utilizada sobretudo nas muitas festas e celebrações locais.

Caderno de Especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
CASSEPEDRO - Cooperativa Agro-Pecuária de S. Pedro do Sul C. R. L.

Publicação no jornal oficial da UE
Regulamento (CE) n.º 1107/96 da Comissão de 12.06.1996 - L 148/1

Padrão da Raça Caprina Serrana: De acordo com o definido no Regulamento do Livro Genealógico, o caprino Serrano é um animal com as seguintes características:

Aspeto Geral — Estatura mediana, aptidão predominantemente leiteira. É uma cabra de estatura média, com uma altura de 64 cm na cernelha;
Pelagem — Pode ser preta, castanha e ruça, podendo apresentar coloração amarela em algumas regiões, sendo a única raça caprina autóctone de pelos compridos;
Cabeça — Grande, comprida, de perfil subcôncavo, frente ampla e ligeiramente abaulada; face triangular; chanfro largo, retilíneo e com depressão na união com o frontal, focinho fino; boca pequena e lábios finos; orelhas relativamente curtas e horizontais, cornos de secção triangular, rugosos, dirigidos para trás em forma de sabre, com hastes paralelas ou divergentes, ou ligeiramente dirigidas para trás, divergentes ou espiraladas;
Pescoço — Comprido, mal musculado, bordos retilíneos com ou sem brincos;
Tronco — Linha dorso-lombar quase direita ou ligeiramente oblíqua, dorsos e rins descarnados e retilíneos; garupa descaída, cauda curta e arrebitada. Tronco ligeiramente arqueado; abdómen desenvolvido;
Úbere — Bem desenvolvido, globoso, por vezes pendente de fundo de saco; tetos pequenos e cónicos dirigidos para a frente ou levemente para os lados;
Membros — Finos, resistentes, com unhas pequenas e rijas;
Peso vivo — adulto: Machos – 35 a 50 kg; Fêmeas – 25 a 40 kg.

(Ecotipos da Raça Caprina Serrana: Transmontano, Jarmelista, Ribatejano e da Serra)

Caprina Serrana Transmontano rd Caprina Serrana Jarmelista rd Caprina Serrana Ribatejano rd Caprina Serrana Serra rd
Ecotipo Transmontano Ecotipo Jarmelista Ecotipo Ribatejano Ecotipo da Serra

Fontes:
ANCRAS – Associação Nacional de Caprinicultores da Raça Serrana
Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV)